Páginas

27 de jul de 2015

Save Our Souls – The Otherside (CD)

2015 – Shinigami Records – Nacional

Nota 8,5/10,0

Texto: Marcos “Big Daddy” Garcia


Fazer Symphony Metal é bem difícil. De um lado, temos uma parte considerável do público muito arraigado à mentalidade dita Old School (que não o é, na verdade), outros são conservadores do barulho (qualquer coisa mais trabalhada, para estes, é “farofa”). Mas mesmo assim, existem bandas por aqui que vão trabalhando, lutando contra as dificuldades e se destacando. E uma bela revelação do gênero é o quarteto SAVE OUR SOULS, de Porto Alegre (RS), que enfim lança o primeiro álbum, “The Otherside”.

Explorando um conceito intrincado, baseado em um personagem chamado Dr. Lynch, que vive agoniado em busca de uma solução para a “teoria do tudo”, e suas experiências pessoais diante do desafio que um espelho que o transporta a outro mundo, gerado pelo próprio reflexo. É preciso ler e compreender. Mas imaginem esta temática bem trabalhada sob um instrumental melodioso e cheio de orquestrações lindas, comum vocal feminino ótimo, belos timbres nas guitarras, baixo e bateria em grande forma e bem trabalhados, e teclados excelentes. Sim, a banda capricha, e tem bastante personalidade.

Save Our Souls
A produção sonora é do próprio quarteto aliado a Diego Voges. O resultado é uma sonoridade forte, pesada, clara e elegante, sem deixar a banda sem peso ou seca demais, e com ótimos timbres. A arte, por sua vez, é muito bela, se encaixa como uma luva no conceito lírico do CD, em mais um belo trabalho de João Duarte.

Symphonic Metal requer riqueza de arranjos, e o SAVE OUR SOULS sabe claramente o que está fazendo e o que quer de sua música. Não há nada de exagerado ou de menos aqui, tudo feito com esmero em cada uma das 11 faixas. E um ponto interessante: existem faixas grandes (como “Another Life” e “Dark Enigma”, que passam dos 7 minutos de duração), mas a duração média é de 4 minutos, logo, os sentidos não ficam cansados, muito pelo contrário.

Another Life – Abre com uma introdução melódica com enfoque nos teclados, mas logo vira uma belíssima canção, onde a base rítmica dita o peso, com muita diversidade técnica e um lindo trabalho dos vocais (que trabalham muito bem timbres fortes e agradáveis).

All the Lost Souls – Outro trabalho de alto nível dos vocais (especialmente os contracantos de vozes masculinas e femininas), sendo esta uma canção mais forte, centrada mais nas guitarras.

The Judgement Day – Uma faixa empolgante devido ao belo trabalho feito por baixo e bateria, com doses maciças de peso.

The Sound of Heart – Introspectiva e com foco na bela instrumental, com ótimos riffs que não quebram a beleza da canção em momento algum.

Web of Lies – Peso em doses cavalares no início (devido ao trabalho ótimo da bateria nos bumbos), mas que depois ganham maior elegância com vocais femininos elegantes e providenciais.

Soul Domination – Órgãos de igreja abrem a canção, seguidos de riffs pesados e base rítmica pesada, com vocalizações belíssimas se alternando com momentos declamados.

Find the Way – As variações rítmicas são excelentes, alternando momentos mais calmos e belos com outros mais pesados e intensos. E como os vocais femininos encaixam bem aqui.

Leave Me Alone – Mais uma vez, temos uma canção mais intensa e introspectiva, com belo solo de guitarra e teclados muito bem compostos. E isso em pouco mais de 2 minutos!

You (Leave Me Alone Part 2) – Bem trabalhada, com pianos se intercalando bem com riffs agressivos no início, e novamente, baixo e bateria estão muito bem.

Dark Enigma – Belos tempos quebrados, uma diversidade técnica muito boa, que ajuda uma canção mais longa a passar sem nos deixar entediados (como se fosse possível nesse disco tal coisa). E aqui, ainda vemos o uso providencial de vocais guturais vez por outra (mais uma bela participação de Gustavo Voges), sem contar que os vocais femininos exibem uma riqueza de timbres muito boa.

The Sound of Heart (Acoustic Bonus Track) – Versão de “The Sound of Heart” focada mais em piano e voz. E este approach nos permite aproveitar bem o trabalho belíssimo dos vocais de Melissa.

Uma banda realmente muito boa, mas meus instintos me dizem que eles podem fazer ainda melhor que isso.

O futuro do SAVE OUR SOULS é promissor, sem dúvidas!



Músicas:

01. Another Life
02. All the Lost Souls
03. The Judgement Day
04. The Sound of Heart
05. Web of Lies
06. Soul Domination
07. Find the Way
08. Leave Me Alone
09. You (Leave Me Alone Part 2)
10. Dark Enigma
11. The Sound of Heart (Acoustic Bonus Track)


Banda:

Melissa Ironn – Vocais, teclados
Marlon Lago – Guitarras, vocais
Jackson Harvelle – Baixo
Andrêss Fontanella – Bateria


Contatos:

Metal Media (Assessoria de Imprensa)

Nenhum comentário:

Postar um comentário